Quais fatores afetam a auto-estima em adultos?

Os fatores que afetam a auto-estima em adultos são variados e complexos. Uma combinação de percepções, pensamentos, relacionamentos e experiências afetam o senso de auto-estima ou a auto-estima de uma pessoa. Os psicólogos consideram a auto-estima um aspecto duradouro da personalidade, que se desenvolve durante a infância e continua ao longo da vida. Embora este sentimento de auto-estima a longo prazo seja relativamente estável, as mudanças no nível de auto-estima são possíveis. Um nível saudável e positivo de auto-estima cria maior satisfação com experiências e relacionamentos, um fator motivador para aprender técnicas que promovam a auto-estima saudável.

Um dos principais fatores que influenciam a auto-estima é pensamentos e percepções pessoais sobre interações entre si e outros. À medida que as crianças interagem com membros da família, professores e membros da comunidade, eles começam a construir um conceito de seu papel na sociedade e seu valor relativo. Esses sentimentos de auto-estima se tornam o alicerce para a auto-estima dos adultos. O aumento da auto-estima pode ser realizado alterando pensamentos pessoais, percepções e auto-fala. Concentrar-se em forças pessoais e qualidades positivas e não em falhas pode ajudar as pessoas a mudar para um nível mais saudável de auto-estima.

Outros fatores que afetam a auto-estima incluem questões econômicas, de relacionamento e de saúde. A perda de um emprego ou uma promoção pode alterar drasticamente os sentimentos de auto-estima. Do mesmo modo, o fim de um relacionamento romântico ou o início de um novo afeta a forma como uma pessoa julga sua auto-estima. Uma doença ou lesão prolongada também pode afetar a forma como os adultos se sentem em relação a si mesmos. Estes são momentos em que os psicólogos recomendam especialmente manter um foco nas características positivas de uma pessoa.

As pessoas com baixa auto-estima tendem a questionar suas próprias habilidades de julgamento e tomada de decisão. Eles podem não ter confiança suficiente em sua capacidade de resolução de problemas, tendendo a analisar ou atrasar as decisões de forma mais ampla. Após uma decisão tomada, eles podem continuar deliberando, possivelmente lamentando a decisão que tomaram. Essa tendência para imaginar melhores resultados para escolhas alternativas reforça os sentimentos de baixa auto-estima. Usar técnicas de construção de estimativa pode mudar a natureza autoperpetadora da baixa auto-estima em adultos.

Outros sintomas de baixa auto-estima incluem uma variedade de padrões destrutivos de comportamento durante as interações com outros. Pessoas com baixa auto-estima podem ser excessivamente sensíveis às críticas. Eles também tendem a ser altamente críticos de si mesmos. Sentimentos de culpa, passando muito tempo se preocupando com o passado ou o futuro, e um excesso de irritabilidade, hostilidade ou insatisfação também são típicos. Cada encontro negativo ou insatisfatório torna-se outro fator que diminui a auto-estima a menos que as estratégias de fortalecimento da estimativa sejam postas em prática.